Quem são os empreendedores nas redes sociais

Redes Sociais

Examinando mostra como muitas pessoas fizeram das mídias sociais digitais o seu emprego e viram nas redes a oportunidade de empreender

Um escritório, um computador, muita papelada e um celular tocando toda hora. É assim que você pode imaginar um empreendedor. Isso até poderia ser real se nós estivéssemos algumas décadas atrás. Mas a verdade é que agora, o perfil de quem abre um próprio negócio pode ser ainda mais variado. E inclusive, o empreendedor pode ter como ferramenta apenas um celular com acesso à internet e com uns aplicativos instalados. 

As redes sociais surgiram com o objetivo de entreter e criar conexões entre as pessoas, mas para muitos as plataformas se tornaram o “local de trabalho”. No Examinando de hoje, vamos mostrar como muitas pessoas fizeram das mídias sociais o seu emprego e viram nas redes a oportunidade de empreender. 

Eu aposto que qualquer dia que você sair de casa, seja para onde for, no meio do caminho você vai encontrar pelo menos uma pessoa com o celular na mão. O aparelho virou essencial no dia a dia das pessoas porque resolve muita coisa. Hoje, o celular é telefone, câmera fotográfica, computador e até banco. Mas apesar de tantas funções, as pessoas gastam boa parte do tempo que passam nesse aparelho nas redes sociais. 

Uma pesquisa mostrou que em uma média mundial, as pessoas gastam mais de 140 minutos por dia nas redes sociais. E esse número altera de região para região. A América Latina é onde mais se usa as redes. A média diária é de 212 minutos. O nível mais baixo foi registrado na América do Norte, com 116 minutos.

E o Brasil está no top 3. Nós somos o segundo lugar no mundo que mais se usa as redes sociais. Perdemos apenas para as Filipinas. A gente gasta nada menos do que 225 minutos por dia nas redes. Isso significa que pode ser que você passe quase 4 horas do seu dia só nisso. Mas não é só o tempo nas redes sociais que é grande não. 

Uma outra pesquisa mostrou que quase metade do planeta está nas redes. É por isso que é difícil encontrar alguém que não tenha perfil em nenhuma rede social. Afinal, são mais de 3,5 milhões de pessoas conectadas. A maior parte dos usuários está no Instagram e no Facebook. 

Com tanta gente gastando tanto tempo na internet, era quase que inevitável que as redes virassem o foco de muitos negócios. Atualmente 78% das empresas brasileiras estão presentes em pelo menos uma mídia social. Desse total, 57% estão conectadas apenas e exclusivamente para fazer vendas online. Só o Instagram cresceu 57% como plataforma de vendas nos últimos meses. 

Os números não negam que as redes viraram plataforma para empreender. Pelo menos 83% das pessoas já admitiram ter feito compras através do Instagram. E 85% acreditam que a rede é um novo meio de encontrar produtos. Nesse ano, o crescimento das redes sociais ainda teve um impulso com a pandemia. O Instagram, o Facebook e o Whatsapp cresceram em média 40% no Brasil desde a segunda quinzena de março deste ano.

Mas colocar os produtos à venda, não é o único modelo que levou as redes sociais ao posto de plataforma para empreendedores. Muitas pessoas hoje ganham dinheiro e vivem apenas de aparecer no Instagram ou no YouTube. Você já deve ter ouvido falar nos influenciadores digitais. 

São pessoas que têm como trabalho criar conteúdo nas redes sociais. Eles estão nas mais diversas áreas: comédia, saúde, educação, notícias. O segundo maior canal do YouTube no Brasil é de um comediante, o Winderson Nunes. Ele surgiu como celebridade na plataforma de vídeos e hoje faz shows pelo mundo todo. 

Mas há influenciadores sobre praticamente tudo: estilo de vida saudável, que mostram uma rotina de atividades físicas e boa alimentação, moda. Outros que ensinam temas específicos como matemática, biologia ou finanças pessoais. Mas afinal, se ser influenciador digital virou uma profissão, como as pessoas ganham dinheiro com isso? 

Basicamente a renda vem de anúncios e posts publicitários, aqueles em que o influenciador apresenta um produto e faz a propaganda dele. Os profissionais recebem por isso. Mas ainda tem o fato de que ser alguém influente nas redes sociais te faz ser uma pessoa pública, conhecida. E isso pode abrir portas. É por isso que muitos influenciadores viram atores ou atrizes, modelos ou apresentadores, por exemplo. 

Mesmo não sendo fácil se tornar um influenciador, as redes sociais tem sido cada vez mais um ambiente propício para os negócios, sejam eles da forma que forem. Um estudo de uma empresa de marketing de influência mostrou que o engajamento dos usuários no Instagram aumentou 24% em março deste ano. E as lives cresceram 70% no período. Os dados mostram que com o avanço da internet e com o domínio das redes sociais, ter um negócio tem se tornado não mais fácil, mas com certeza mais acessível. 

Exame.com/Beatriz Correia

Curte e comenta
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *